domingo, 14 de dezembro de 2014

Paul Virilio - Pensar a Velocidade

Prezados

Eu, hoje de madrugada, numa insônia, fruto da dor causada por uma Tendinite de Glúteo, que já me acompanha há mais de um mês, tive a oportunidade de assistir a um documentário que gostaria de compartilhar com aqueles que se interessam em melhor entender o nosso tempo.

O canal Curta está apresentando o filme Paul Virilio - Pensar a Velocidade, com excelentes reflexões. Segue a ficha técnica do filme:

Gênero: Documentário
Sub-Gênero: Educativo
Diretor: Stéphane Paoli
Duração: 52 min     Ano: 2008     País: França     Local de Produção:
Sinopse: Reflexões sobre velocidade, com um dos principais teóricos no assuntos: Paul Virilio. A onipresença já foi um sonho, agora a Internet tornou isso possível. A velocidade com a qual nosso planeta entrou online colocou em questão todos os aspectos da nossa vida cotidiana, sejam eles econômicos, culturais ou políticos. Através de seus escritos e reflexões, Paul Virilio mostrou que a História contemporânea é filha da velocidade. Podemos não considerar o bug do milênio como um preâmbulo para sua profecia do 'Integral Accident'? A assincronia entre o tempo humano e o tecnológico está a caminho pela primeira vez na história da humanidade. Estar aqui e ali ao mesmo tempo nos faz mutantes? Em 90 minutos, este filme examina nossa era sob a luz dos pensamentos de Paul Virilio. Mostra, tendo exemplos como base, que a política, a economia e a informação estão agora submetidas à ditadura da velocidade. Grandes especialistas contemporâneos e observadores informados, como Jérémy Rifkin, Walter Bender, Mohammad Yunus, Hubert Védrine, Jacques Attali, Jean Nouvel and Enki Bilal, apóiam ou contestam a linha de raciocínio de Paul Virilio.

As próximas exibições são 14/12/2014 15:00:00 [hoje] e 15/12/2014 11:00:00 [amanhã] e eu pretendo assistir de novo. Comentários sobre o filme serão bem vindos aqui no blog.

Forte abraço
Fernando Goldman

2 comentários:

Eduardo Vieira disse...

Fernando Meus parabéns muito bom mesmo o seu blog.

Abraço.

Seguindo ai...

Fernando Goldman disse...

Obrigado Eduardo!