sexta-feira, 24 de agosto de 2007

Muito ajuda, quem não atrapalha

Texto postado no fórum da SBGC em 23/8/2007 12:32 AM

Olá Sergio e demais

Parece que algumas de nossas idéias convergem, mas eu gostaria de aprofundar o assunto.

Quando eu comecei a escrever meu último comentário, pensei em criar um novo item de discussão. Meu foco é no papel do RH na Gestão do Conhecimento. Cheguei a pensar em usar o título, se não estou enganado, de uma peça teatral antiga chamada:

"Muito ajuda, quem não atrapalha"

Ou será que isso é apenas um ditado. Não importa, pois preferi dar continuidade a lista aberta pela Jaqueline.

De qualquer forma, eu tenho ouvido insistentemente a afirmativa de que "O RH é fundamental para o sucesso da GC", como você também citou. Até concordo com ela, mas eu fico me perguntando:

Será que o RH percebe porque ele é fundamental para o sucesso da GC?

Será que o "modelo Competência" não é muito mecanicista e focado demais em eventos, em detrimento de padrões de comportamento, estrutura sistêmica e modelos mentais adequados aos dias atuais, ou seja , à formação do pensamento sistêmico.

Quanto tempo é necessário utilizar um modelo de competências para chegar à conclusão de que ele está apoiado no processos errados?

Acho que um bom começo é perceber que se:

- o RH está evoluindo, digamos assim, para Gestão de Pessoas e

- o Conhecimento só existe nas pessoas,

torna-se importante deixar claro que nunca é no setor de Gestão de Pessoas onde está o conhecimento criador de diferencial competitivo, nem seguer o que mantém a empresa inovando.

Convido o pessoal de RH a participar desse papo, narrando casos em que o RH desempenhou real papel de apoio a Gestão do Conhecimento e como isso foi feito.

Implantação de modelo de Gestão de Competências eu pediria que não considerassem.

Forte abraço

Fernando Goldman

Um comentário:

Cadre disse...

Oi Fernando e Sergio,

Minha modesta opinião sobe assunto passa por uma ação conjunta das áreas produtivas da empresa, as que tentem a "expertise" do negócio,com a área de RH.

Como sabemos a condução do processo deve ser de que operacionaliza e conhece e vive as regras do negócio. Quem tem o conhecimento tático do negócio,na maiorias da empresas, não é o RH.

Os processos especificos de Gestão de Competências, parte importante da Gestão do Conhecimento, deve gerido pelo RH sim. Mas o mapeamento,definição das competências essenciais e consequente plano de capacitação do pessoal devem ser gerados em conjunto com as aréas técnicas e operacionais atendendo suas necessidades e prioridades.

Concordo que .... uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa ... a aplicação de ferramentas de gestão de competências não podem ser confundida no sentido lato com Gestão do Conhecimento.

Sergio, Fernando e demais bloqueiros de plantão, seria uma quimera de minha parte sonhar com uma ação integrada entre áreas da empresa que detém o conhecimento do negógio e o RH que deve deter o conhecimento do uso correto das ferramentas de gestão de competências?

Um forte abraço,
Carlos Rodrigues (Cadre)
http://www.moodlefree.com/main/course/view.php?id=22