sexta-feira, 26 de março de 2010

Definindo Gestão do Conhecimento Organizacional

Prezados

A Gestão do Conhecimento Organizacional é uma disciplina em processo de amadurecimento.

Falar em Gestão do Conhecimento ou Knowledge Management, por si só, não garante de forma alguma que todos interlocutores estarão pensando no mesmo tipo de atividades.

Ao contrário, a percepção crescente do conhecimento como fator de produção atrai especialistas de diferentes disciplinas, que - a partir de seus focos de interesse - tentam interpretar as possíveis contribuições de suas áreas para uma melhor qualidade da emergência do Conhecimento Organizacional.

Por isto, uma definição de trabalho, que tente estabelecer exatamente sobre o que se está a falar, assume maior importância, possibilitando um início de diálogo.

Atualmente, trabalho com a definição abaixo, fruto de um processo de estudos e análises. Ela será norteadora dos textos que irão se seguir.

Gestão do Conhecimento de um arranjo organizacional ou simplesmente Gestão do Conhecimento Organizacional (KM) é um metaprocesso, que, explícita e sistematicamente, através de ações e práticas de apoio, aprimora as políticas e processos que influenciam a qualidade da dinâmica do seu Conhecimento Organizacional.

Uma KM para ser sustentável, para se justificar como atividade específica, deveria ter por objetivo a Eficiência Adaptativa, facilitando a emergência (criação) de novos estados do Conhecimento Organizacional.

Cada novo estado do Conhecimento Organizacional - recurso específico, intangível e dinâmico do arranjo organizacional em questão - deveria ser capaz de propiciar as capacitações dinâmicas para identificar, influenciar, responder ou se antecipar às adaptações necessárias às mudanças no seu ambiente de negócios, inovando adequadamente em produtos, processos, serviços e formas organizacionais.

A forma verbal " deveria" no parágrafo acima procura deixar claro que não há garantias ex-ante de que a qualidade do conhecimento organizacional em um determinado instante será suficiente para fazer frente às pertubações advindas do ambiente no qual está inserido o arranjo orgnizacional em questão.

O arranjo organizacional pode por exemplo ser uma empresa. Sua dinâmica envolve coordenação e integração. O Conhecimento Organizacional constitui-se em recurso do arranjo organizacional, que pode ser capaz de fornecer-lhe vantagens competitivas.

Infelizmente, a definição e idéias acima não são óbvias, nem de fácil absorção. Envolve muitos conceitos e elementos, mas cada vez é maior a percepção de numerosos e conceituados autores - mesmo que ainda não adotem exatamente esta definição - de que falar em Gestão do Conhecimento Organizacional só faz sentido quando se caminha nesta direção.

Forte abraço

Fernando Goldman

Revisado em 24.04.2010 às 19:45

2 comentários:

Camila Fernanda disse...

No meu 'modelo mental' gestão do conhecimento Gestão é o conjunto de processos que definem a geração, codificação, disseminação, apropriação e utilização do conhecimento para atingir os objetivos propostos.
Produzir – armazenar – processar – recuperar – formatr - disseminar – atualizar – utilizar.

Mas quais são os principais autores desse assunto tão amplo?
Os que eu conheço são:Joaquim Luís Loureiro, Peter Drucker, Edson Roberto Scharf, FRANCISCO FIALHO; MARCELO MACEDO; NERI SANTOS; TIBÉRIO MITIDIERI...

Enfim, alguém conhece mais algum autor?

Fernando Goldman disse...

Prezada Camila

Obrigado por seus comentários.

No seu modelo mental GC é um conjunto de processos, como você mesma disse, caracterizando-se assim como um conjunto de processos que lidam com o conhecimento.

Um metaprocesso atua sobre processos. Modifica-os. Neste caso, a GC só é sustentável quando entendida como um metaprocesso que atua sobr os processos de conhecimento.

Por favor, veja postagens anteriores minhas para uma discussão de que os verbos citados não são processos de conhecimento na empresa.

Quano aos autores solicitados, eu te sugeriria conhecer os trabalhos de Snowden ou Firestone e McElroy,por exemplo, como uma forma de começar a mudar seus modelos mentais e conhecer o que estes últimos autores vêm chamando de "The New Knowledge Management".

Forte abraço

Fernando Goldman